SOBRE A ASSOCIAÇÃO
Nossa História
Fazenda Furquilha
Estatuto Social
Calendário de Atividades
Visão de Futuro
Localização
Entre em contato
     ASSUNTOS
Cerimônias Ritualísticas
Arte
Bioarquitetura
Cooperação
Mantras e Orações
Meditação
Meio Ambiente
Paisagismo
Palestras, Cursos e Vivências
Pensamentos
Qualidade de Vida
Terapias Alternativas
Yoga
     VARIEDADES
Download Informativos
Boletim Informativo
Colunistas
Galeria de Fotos
Links Úteis
Loja Virtual
Rádio ARN

Receba nosso Boletim informativo por email

Seu Nome

Email

Acesso Associados

Usuario

Senha


Buscar Artigos

  Marilu Martinelli
A Música das Esferas

"Nas esferas ao redor admiráveis harmonias de sons são geradas eternamente, e dessa mesma fonte todas as coisas foram criadas."

Desde os antigos egípcios, de quem os gregos aprenderam muitos dos conceitos matemáticos, astrológicos, astronômicos e musicais; persiste a crença no princípio harmônico universal como a fonte da vida. Segundo essa sabedoria milenar, cada sistema estelar tem sua própria oitava musical que vibra em sintonia como todas as demais oitavas dos diversos sistemas solares do universo e dos multiversos. Assim, cada planeta é considerado um ser vivo único e inteligente que interage energeticamente entre si e tem um tom e uma vibração diferentes, mas que é parte integrante dessa oitava estelar. Todos os tons e vibrações dos planetas juntos constituem a música das esferas. Os signos do zodíaco, esse círculo imaginário desenhado nos céus, estariam relacionados com os planetas e com a música e tudo isso agiria diretamente sobre os corpos humanos e o psiquismo. Pitágoras desenvolveu a teoria dessa correspondência abrangendo toda a escala musical e os planetas na matemática e na relatividade das distâncias. Ptolomeu e Johannes Kepler trabalharam com os zodíacos tonais. Para eles era importante para o autoconhecimento e a saúde física, mental e espiritual. Rudolf Steiner também criou um zodíaco tonal, com a particularidade de ser baseado nos intervalos de quinta. É significativo nos ensinamentos antroposóficos conhecer esse sistema. Para muitos essas correspondências podem parecer arbitrárias, porém essas associações podem se tornar instrumentos importantes de compreensão da realidade que ultrapassa o mundo tangível. Alguns se baseiam na escala cromática, começando pelo dó central e assim o dó torna-se Áries, o dó sustenido Touro e assim sucessivamente. Todos, porém afirmam que quando nascemos, as estrelas e planetas que encontram-se em determinada posição no universo, formam o diapasão universal daquele momento cósmico. Os tons, ritmos, melodias e harmonias dos corpos celestes a partir daí passam a ressoar em nossas células, e nossa energia individual se relaciona com as energias do universo e com elas vibra em ressonância harmônica ou desarmônica. Cada planeta e cada signo têm sua própria vibração e é portador de determinada energia que vibra no tom musical a ele relacionado. Nosso mapa astral pode ser descrito como uma composição musical cósmica. Nele as notas dissonantes indicam as áreas que precisamos harmonizar para que tons e planetas entrem em sintonia e nossa consonância com a música das esferas seja a melhor possível. Embora alguns tons destoem quando tocados juntos, nos cabe encontrar os tons que nos trazem harmonia buscando acordes que ajustem por meio de combinações tonais as defasagens e dissonâncias. Isso é feito quando conhecemos o nosso mapa zodiacal e tonal. A oposição no zodíaco é a distância de 180 graus que separa um planeta do outro. Todos nós já nos deparamos com pessoas que parecem estar em total oposição a nós, e a tendência é nos afastarmos, porém o caminho do amor universal é o da harmonia e desse modo é preciso encontrar um meio de ajustar dissonâncias entre nossos tons vibracionais e deixar fluir a melodia do encontro fraterno. O trabalho da harmonia interior e exterior nos oferece o caminho das transformações fundamentais nos mostrando como transmutar energias destoantes em todos os níveis de relação. A fusão harmônica promove unidade vibracional por isso é importante ativar corretamente os sons harmônicos que irão atuar no nosso campo energético influenciando nossos estados emocionais e mentais. Os sons dos chakras alinham e ampliam o âmbito de ressonância, de captação e transmissão de energias do nosso corpo energético, nossa anatomia sutil, assim como das nossas intenções mentais. Sabemos que qualquer forma de som é poderosa fonte de energia transformadora. Seja pela emissão da voz humana, seja através de instrumentos musicais naturais ou eletrônicos, o som é meio de aprendizado e condutor de emoções positivas ou destrutivas. Os sons agem diretamente na complexidade do nosso universo interior, e influenciam o corpo emocional e o corpo físico diretamente. Por isso é importante escolher o que ouvir, quer sejam palavras, ou sejam músicas. As músicas e as palavras de má qualidade produzem energia de baixa freqüência. Por outro lado, através de palavras amorosas e sabias, sentimentos puros e inspiradores, desenvolvemos um campo energético propício para relacionamentos fraternos e parcerias profícuas. O som da música de qualidade superior tem freqüência elevada, por isso desenvolve a intuição e ativa a criatividade, direcionando-a para o bem. Sob a ação frequencial da música de qualidade superior a concentração mental acontece sem esforço, assim como o relaxamento do corpo e das tensões emocionais ocorrem naturalmente. A música de baixa qualidade é prejudicial porque produz excitação muscular e mental ativando instintos inferiores e emoções perturbadoras. A vibração do som modifica os padrões das ondas cerebrais e atua também na percepção e nos padrões de estados psicoespirituais. Temos que estar atentos as nossas reações aos sons para aproveitarmos seus efeitos benéficos, assim como evitarmos seus efeitos nocivos. É importante ouvir os sons sagrados de todas as religiões e expressões do sagrado nas diferentes culturas. Os sons sagrados dos mantras e orações de todas as tradições espirituais são elos de ligação entre a mente e o espírito, a matéria e o divino, e produzem efeitos pacificadores, curadores e curativos. Som é poder, é a vida manifestada de diferentes formas. Das trevas à Luz, do Som a Forma.“No princípio era o Verbo e o Verbo estava com Deus e o Verbo era Deus...” (João 1,1)

Marilu Martinelli
____________________________________________

Jornalista. Atriz. Escritora. Educadora. Conferencista Internacional. Professora de Mitologia Universal e Filosofia Oriental. Professora convidada da Unipaz, Unibem e Universidade Católica de Arequipa - Peru. Consultora Educacional e Empresarial para Formação de Lideranças em Valores Humanos. Especialista em Educação de Educadores em Valores Humanos e Desenvolvimento Humano.

Email: gayatriml@hotmail.com
Site: www.marilu.martinelli.nom.br







Associação Rural Natureza © Copyright 2007
Fazenda Furquilha - Bairro Furquilha
Monte Alegre do Sul - SP

By Frequência