SOBRE A ASSOCIAÇÃO
Nossa História
Fazenda Furquilha
Estatuto Social
Calendário de Atividades
Visão de Futuro
Localização
Entre em contato
     ASSUNTOS
Cerimônias Ritualísticas
Arte
Bioarquitetura
Cooperação
Mantras e Orações
Meditação
Meio Ambiente
Paisagismo
Palestras, Cursos e Vivências
Pensamentos
Qualidade de Vida
Terapias Alternativas
Yoga
     VARIEDADES
Download Informativos
Boletim Informativo
Colunistas
Galeria de Fotos
Links Úteis
Loja Virtual
Rádio ARN

Receba nosso Boletim informativo por email

Seu Nome

Email

Acesso Associados

Usuario

Senha


Buscar Artigos

  Marilu Martinelli
Liderança em Valores Humanos

Os princípios são o lustro e o lastro do caráter. Constituem os fundamentos da consciência, por isso definem valores e estruturam propósitos e lideranças. Esse tipo de liderança não precisa procurar como servir a sociedade e atuar profissionalmente com dignidade, a opção se apresentará por ressonância, naturalmente. É importante frisar que numa liderança baseada em valores humanos, a capacidade operacional, a flexibilidade, as habilidades para lidar com o inesperado, e a integridade do caráter legitimam o poder. A partir de suas lideranças e seus princípios, a empresa se reinventa e se abre corajosamente para a potencialidade, a responsabilidade civil e a abundância. A pratica diária dos valores humanos é o ponto de mutação na qualidade da convivência e dos propósitos de uma instituição. Quem lidera e pratica os valores humanos sabe que só é rígido e prepotente quem não sabe amar, pois quem sabe amar é firme, justo, compreensivo, solidário e naturalmente autoconfiante. Por isso o líder em valores acredita na circulação do poder. Numa administração circular o líder reconhece que o comando troca de mãos dependendo das exigências operacionais de um projeto, e não se sente ameaçado ao transferir responsabilidade e autonomia. As parcerias se formam naturalmente entre os companheiros de trabalho e a criatividade aflora sem esforço. Nesse tipo de liderança o importante é o empenho e não o esforço porque o líder se disponibiliza para entrar no fluxo natural da energia do grupo, reconhece os sinais que indicam a trajetória do projeto e se coloca a serviço. Para uma empresa alicerçada em valores humanos os clientes são parceiros de sonhos convidados a viver experiências conjuntas de prosperidade. Cada negócio tratado deve ser lucrativo para ambas as partes senão não é suficientemente bom. Lucro não significa logro, porém, ganho partilhado. Desse modo a disputa desaparece porque não existe vencedor nem vencido, e todos tornam-se companheiros de criação e forjadores de riqueza e progresso. Nesse sistema de trabalho o direito de mandar nasce do altruísmo, a virtude de se adequar circunstancialmente ao semelhante e amorosamente procurar o ponto de encontro e não o confronto. Buscar o que nos aproxima e não o que nos pode afastar. E a partir daí despertar nos companheiros o que eles têm de melhor, estimulando seus talentos e qualidades individuais. Embora para muitos a obediência controladora possa legitimar a conduta dos liderados e subalternos, a liderança em valores sabe que estes são inerentes tanto ao líder quanto aos comandados e fomentam respeito, solidariedade e cooperação, além de congregar as diferenças, e tornar os objetivos e metas a serem atingidas uma missão de todos. Os valores humanos despertados na consciência como expressão plena da nossa humanidade legitimam e engrandecem a missão da empresa e dignificam as tarefas cotidianas dos funcionários. Ao exercer o mando o líder precisa unir o que ele é aquilo que ele faz; e viver com destemor e reverência sua natureza interior. Liderar é basicamente servir colocando em movimento harmônico pensamento, sentimento, palavras, competências e ações. Quando se põe o amor para trabalhar tudo torna-se mais fácil, verdadeiro e prazeroso. Outro ponto importante na liderança é o conhecimento da ética da alegria, portadora de leveza, confiança, soltura e otimismo. A ética da alegria fomenta entusiasmo, "entheos", quer dizer com Deus, e é a raiz que nutre e avaliza a transgressão a toda forma de mediocridade, intolerância, crueldade e conformismo. A alegria cria um patamar de onde partimos para vôos criativos direcionados pelo Bem, é impossível ferir os outros quando temos alegria no coração. Muitas vezes é preciso ultrapassar as formalidades e seguir o coração, o Ser, tendo o discernimento como força de propulsão para que possamos deixar o amor fluir e receber da alma a inspiração necessária.. As soluções adequadas e a criatividade inovadora nascem de uma inspiração luminosa e "numinosa", que alimenta uma vontade originária do Ser interior. A interioridade é a morada do espírito que está sempre conectado com a totalidade, e dele brota o respeito pelas diferenças como partes da mesma expressão da vida. Porém, paradoxalmente a ação criativa repousa na dualidade, no fato de expressar a mutabilidade e o indeterminismo porque é portadora do novo. Para desempenhar plenamente sua função, o líder precisa saber lidar com a complexidade dos fatos, circunstâncias e as emoções que permeiam as ações e reações humanas. A liberdade interna deve ser cultivada porque descontamina a visão e redefine significados e prioridades. A descoberta do universo interior, a espiritualidade, permite que nos tornemos algo mais do que já somos. As relações humanas adquirem maior brilho e a honestidade desvela imposturas e aproxima as pessoas pelo coração. É importante lembrar que o semelhante nos afeta do mesmo modo que o afetamos, embora nem sempre pelo mesmo motivo nem com a mesma intensidade. E por meio dessas relações crescer humanamente e desenvolver potencialidades adormecidas. A liderança baseada em valores humanos cria o consenso motivador e inovador e faz de cada uma das pessoas que compõem o grupo de trabalho um portador de transformações. Uma gestão em valores atua com alto grau de eficiência criativa e o mínimo de exclusão, controle, vaidade e constrangimentos. A cooperação assume o lugar da competição compulsiva e a inveja não tem lugar quando vemos no brilho do outro um convite para reconhecermos o nosso próprio brilho e na interdependência dinâmica da complementaridade. Os valores humanos conscientizados e praticados no dia a dia desenvolvem em cada um de nós uma percepção multifacetada da vida, e a constatação da beleza que se revela na diversidade. A partir daí acontece uma transformação íntima profunda e contínua, que reinventa as relações humanas, a liderança, o trabalho, a família e a sociedade.

Marilu Martinelli

Jornalista.Atriz.Educadora.Escritora.Conferencista Internacional.Professora de Mitologia Universal e Filosofia Oriental.Consultora Educacional e Empresarial para Capacitação de Educadores em Valores Humanos e para Formação de Lideranças e Gestão em Valores Humanos.


Visite o site: www.marilu.martinelli.nom.br





Associação Rural Natureza © Copyright 2007
Fazenda Furquilha - Bairro Furquilha
Monte Alegre do Sul - SP

By Frequência