SOBRE A ASSOCIAÇÃO
Nossa História
Fazenda Furquilha
Estatuto Social
Calendário de Atividades
Visão de Futuro
Localização
Entre em contato
     ASSUNTOS
Cerimônias Ritualísticas
Arte
Bioarquitetura
Cooperação
Mantras e Orações
Meditação
Meio Ambiente
Paisagismo
Palestras, Cursos e Vivências
Pensamentos
Qualidade de Vida
Terapias Alternativas
Yoga
     VARIEDADES
Download Informativos
Boletim Informativo
Colunistas
Galeria de Fotos
Links Úteis
Loja Virtual
Rádio ARN

Receba nosso Boletim informativo por email

Seu Nome

Email

Acesso Associados

Usuario

Senha


Buscar Artigos

  Marilu Martinelli
A Ética do Mando e a Legitimidade

"Para alcançar o conhecimento acrescente coisas todos os dias. Para alcançar a sabedoria, remova coisas todos os dias".
Lao Tse

O que é o trabalho, e qual a missão do homem? Será, estudar, ter uma profissão, arranjar um emprego ou empreender um negócio, e executar tarefas pelo resto da vida? Casar ter filhos e os sustentar e educar? Tudo isso faz parte da sua missão, mas o verdadeiro trabalho do homem é a busca da Verdade e do autoconhecimento. Deve descobrir que as virtudes da Beleza e do Bem nascem com ele e praticando-as permitir que aflore a excelência humana. Como podemos começar a tarefa? O aprendizado consiste em nos aproximar conscientemente da nossa verdadeira identidade e contemplar os vários níveis de realidade com os olhos da razão e da alma. Desse modo o intelecto se amplia e torna-se um servidor do Ser, e então, começamos a sentir pulsar e irradiar um novo padrão de inteligência. Desse modo nos tornamos o observador inteligente de nós mesmos. A mente aprende a superar limites e liberta-se da prisão dos pensamentos que geram emoções destrutivas e atividades auto-aprisionadoras. Como tudo que fazemos é conseqüência do quanto sabemos sobre nós, e do que sentimos e percebemos dos outros e da vida, a realidade interna transforma a realidade externa. Isso porque o que oferecemos ao mundo, quer sejam idéias, sentimentos ou ações sofrem influencias e influenciam a medida que compatibilizamos nosso interior com o exterior. Por isso os valores humanos precisam ser resgatados como eixo do que somos, do que fazemos e do que valorizamos. Por traz do que pensamos e valorizamos existe um referencial paradigmático que é determinante. Nosso arcabouço mental é o filtro pelo qual passa a qualidade da nossa percepção. Portanto viver valores humanos é o desafio maior na construção do novo, isso porque resgatar esses valores é resgatar nossa humanidade. É preciso ousar e se dispor a transformar e reorganizar o que acreditamos ser fundamental. E a partir daí perceber que da mesma maneira que criamos um paradigma somos capazes de ultrapassá-lo e recriar nossa visão de mundo. Descobrir por exemplo que viver virtudes não é um ideal dissociado das contingências do mundo concreto e das nossas necessidades de sobrevivência. Numa sociedade equivocada o agir correto é o meio que dispomos para torná-la melhor e mais justa a partir das nossas próprias ações e atitudes. Essa é a proposta que se apresenta a cada um de nós. Enquanto estivermos lutando prioritariamente pelo efêmero como fama, poder, posição social e dinheiro a qualquer preço estaremos alimentando um modelo de sociedade que nos está destruindo e ameaçando a vida no planeta. Como mudar isso? Basicamente nos conectando com o permanente, os valores espirituais onde se enraízam os valores humanos. Quando baseamos nossa vida em princípios espirituais eternos nos tornamos mais lúcidos, estáveis emocionalmente, portanto mais organizados, criativos e produtivos. Conseqüentemente colocamos nossos talentos naturalmente à serviço do Bem, em diferentes tipos de atividades e profissões. Tornamos-nos mais autoconfiantes porque temos princípios e ideais sobre os quais apoiarmos nossas crenças e decisões em todas as áreas de atuação na sociedade. Os valores espirituais permanentes são a estrutura que permitirá a dissolução de fronteiras e limites das nossas mentes; por isso é preciso integrá-los e implementa-los na família, na empresa e na sociedade para fomentar ações orientadoras de um novo paradigma. O que é viver corretamente? Acredito que a ação correta se enraíza na capacidade de ser verdadeiro consigo mesmo e com os outros e agir sem ferir a própria consciência visando o bem de todos. Uma ação correta é o resultado coerente do que sentimos pensamos, falamos e praticamos.

Marilu Martinelli

Jornalista. Atriz. Educadora em Valores Humanos. Conferencista Internacional. Professora de Mitologia Universal e Filosofia Oriental. Consultora para Formação de Educadores e Lideranças em Valores Humanos e Desenvolvimento Humano.







Associação Rural Natureza © Copyright 2007
Fazenda Furquilha - Bairro Furquilha
Monte Alegre do Sul - SP

By Frequência